QUANDO PROCURAR PSICOTERAPIA INFANTIL?

A criança manifesta seu sofrimento psíquico de diferentes maneiras. Ele pode manifestar raiva que lhe parece desproporcional ou muito frequente ou, pelo contrário, uma retirada social. Nas crianças, muitas vezes é o corpo que fala. O comportamento da criança questiona os pais, o que os leva a encontrar um psicoterapeuta.

Estas são manifestações ligadas a múltiplas causas, como luto, ciúme, nascimento, separação, mudança ou outras razões, como alto potencial. Será necessário decifrar esse significado para ajudar a criança e permitir que ela supere esse sofrimento psicológico.

Aqui estão razões não exaustivas para a consulta:

  • raiva repentina e frequente, sem motivo visível
  • violência verbal ou física contra seus camaradas ou contra si mesmo
  • falta de apetite
  • problemas para adormecer, pesadelos, medos noturnos
  • urinar na cama
  • encoprese
  • ansiedade
  • engasgando
  • tédio na escola
  • em caso de dificuldades escolares, falta de autoconfiança …
  • evitar o olhar, isolamento, dificuldades de relacionamento com colegas
  • uma atitude particular na escola identificada pelo professor
  • uma recusa em fazer seu trabalho, um medo da escola com dores de estômago, dores de cabeça …
  • uma fobia escolar

 

Acompanho crianças usando o jogo, uma casa com personagens ou animais de todos os tipos ou mesmo desenhos, histórias … um imaginário inteiro que pode permitir que eles expressem seus medos, ansiedades, sofrimentos diversos. Dependendo da idade da criança e do problema, eu a recebo sozinha ou acompanhada por um dos pais, ou ambos, se necessário. As entrevistas clínicas duram 30 minutos e são interativas. As crianças sabem que meu escritório é “a sala dos segredos” e rapidamente consideram que esse lugar é deles e não dos pais!

A PRIMEIRA ENTREVISTA

A primeira entrevista é sempre realizada na presença da criança e com ambos os pais (na medida do possível), para que todos possam me expressar suas dúvidas, sua preocupação com o comportamento do filho, o último ouvindo. Isso me permite identificar o comportamento da criança em relação a cada pai presente. Também definimos durante esta entrevista as modalidades de monitoramento psicológico da criança.

Às vezes, são necessárias apenas 10 ou 15 sessões para resolver um problema e, algumas vezes, mais dependendo da causa da dor ou desconforto na criança, as sessões são por tempo indeterminado.

 

Com carinho

Mônica Pessanha

Leave a Comment

0