Para uma criança, a imitação é um marco importante. Agindo assim como você é um passo gigante para aprender tudo sobre si mesmo.

A imitação é vital para o desenvolvimento de capacidades que variam de linguagem para as habilidades sociais.

Claro, nem todas as crianças irão imitar cada movimento de seus pais. Algumas crianças passam muito tempo observando e processamento as informações antes de imitar seus pais.

Muitas vezes, meninos tendem a imitar seus pais, e as meninas suas mães. Mas muitos pais veem seus filhos usando o batom da mãe ou suas filhas “barbeando” como os papai. Em uma idade, crianças fazem o que veem. A identidade de gênero não surge normalmente por volta dos 3 anos, mas o mimetismo começa no nascimento. Muitos recém-nascidos, por exemplo, copiam os movimentos faciais. Mas é ao completar 1 ano que a verdadeira imitação, ou imitação com intenção aparece na criança.

Além do mais, por 15 meses, a maioria das crianças têm desenvolvido as habilidades motoras e cognitivas necessárias para realizar a ação a ser imitada. As crianças desta idade possuem geralmente maior capacidade de movimentação e alguma coordenação olho-mão.

O que leva a criança a imitação? Em parte, é a conexão instantânea que o mimetismo cria entre pais e filhos. Quando uma criança imita os pais fazendo ginásticas, elas estão comunicando a ligação que tem com os pais.

A imitação é também um trampolim para a independência. Quando começam a perceber que conseguem imitar muitas das ações dos adultos, as crianças ficam maravilhadas. Ainda que não obtenham sucesso na primeira vez, tendem a continuar tentando. Para crianças de 1 ano, a imitação segue um processo de quatro etapas: ver e ouvir, processar a informação, tentar copiar um comportamento, e praticar. O desenvolvimento da linguagem oferece um exemplo. Quando as crianças de 1 ano começam a tentar reproduzir palavras simples como baba, eles estão realmente imitando os sons que se ouvem em torno delas. Com o tempo, depois de incontáveis repetições, elas processam essa informação. As crianças começam a diminuir apenas a reprodução de sons e começam a expressar palavras completas que fazem mais sentido, como por exemplo “mama” para “mamãe”. Em seguida, continuam praticando até que consigam usar a palavra no contexto.

As atividades domésticas estão entre as ações que crianças mais gostam de imitar. Tarefas como varrer o chão e preparar alimentos são bons exemplos. Você também vai encontrar crianças de 1 ano que adoram imitar ações como escovar os dentes ou cabelo, quando seus pais estão realizando essas ações.

Já que a imitação é um processo importante para o desenvolvimento da criança, o que os pais devem ter em mente? Vai aqui 4 dicas simples:

  • Seja um bom modelo. Os pais estão sendo observados o tempo. As crianças estão em observação constante. Quer se trate de comer bem ou parar de fumar, adotar comportamentos positivos é bem importante.
  • Faça da segurança sua prioridade. Como as crianças querem imitar os pais, é preciso estar atento aos perigos que nossa casa pode oferecer a ela. Por exemplo, uma criança de 1 ou 2 anos não pode querer partir o pão ou descascar uma fruta com uma faca. Mas como observa outros fazerem, é muito provável que queira experimentar essa ação também. E por que esse cuidado é importante? Porque as crianças não têm senso de julgamento, sendo assim a prevenção é o melhor remédio.
  • Ofereça uma alternativa, quando necessário. Às vezes é frustrante ter esses pequenos imitadores ao redor, especialmente quando fazem aquela bagunça. Se a criança mexe na sua carteira para brincar com seus cartões de créditos válidos, para vivenciar uma compra, que tal preparar uma carteira que você não usa mais com cartões fora da validade e dar para ela brincar? Isso vai fazer com que o conteúdo de sua carteira fique intacto, o processo de aprendizado da criança não seja interrompido – porque imitação também é aprendizado e, o mais importante, você evite qualquer estresse.

Leave a Comment